Conheça o enredo da Sociedade Águia Real para o Carnaval 2018

SOCIEDADE ÁGUIA REAL
“Baroque Brasiliensis” – Uma história esculpida em ouro.

SINOPSE

Sou a luz e a sombra, o dourado e o ocre, o detalhe, o exagero, o sacro.
Cresci num intenso momento de crise. Crise econômica, de fé, de identidade…
Arte das contradições, das tensões e disputas, das oposições e incertezas.

Viajar é preciso…
Atravessei o mar, saí de meu continente natal para “dar alma” aos “sem alma”.
Um oceano de sonhos dourados, onde o futuro traria novas oportunidades.
Cheguei ao Brasil através de jesuítas e aqui encontrei território favorável.

Catequizei os nativos dessa terra, através de meu esplendor artístico.
Ensinei, inspirei, ilustrei a devoção, dei ritmo a literatura e som a fé.
Construí monumentos, decorei ruas, esculpi as divindades, encenei os dogmas.
Me misturei com a cultura nativa e no Novo Mundo me transformei.
Já não me sinto mais europeu, fui remodelado, recriado, reinventado.
Esse povo me viu de forma diferente, moldei a cultura cristã dessa terra.
Mas, sem perder minha intensidade e dramaticidade.

E segui os caminhos das Minas Gerais… Minha terra de sonhos dourados.
O ciclo do ouro me valorizou ainda mais, me tornei mais imponente.
Fui elevado com o sangue e suor de negros explorados nas minas de ouro.
Alimentei a economia de várias cidades mineiras.
Enfeitei-as através das artes de um grande gênio dessa terra.
Alguém que me dignificou como jamais nenhum outro.
Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.

E o carnaval? Ah,o carnaval…
Meu palco agora é o Rio de Janeiro, da Rio Branco à Marquês de Sapucaí.
Moldado no templo das “Belas Artes”, refinado e devolvido ao povão.
Fui esculpido e refinado por um grande mestre, um “Ar lindo” de criatividade.
E consagrado por uma monumental professora que espalha perfume de “Rosa”.

Quem sou eu?
Baroque Brasiliensis… mas, pode me chamar de Barroco!

Author: Carnaval Virtual

Share This Post On